Secretário de Recursos Hídricos depõe na CPI da Sabesp na Câmara de São Paulo

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Flávia Albuquerque - Agência Brasil12.11.2014 - 18h45

 

 

Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), na Câmara Municipal de São Paulo, o secretário de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mauro Arce, evitou falar sobre a gravação que vazou e na qual a presidente da Sabesp, Dilma Pena, disse que teve ordens superiores para não alertar a população sobre a possibilidade de falta de água no estado. Ele argumentou que Dilma Pena entregou aos membros da CPI uma carta na qual esclarece a questão.

 

Leia mais notícias sobre a crise hídrica

 

Chuva é prevista para região do Cantareira

 

“Prefiro não falar sobre isso porque o que vale é a posição dela [Dilma Pena], que está na carta que foi encaminhada para a CPI. Ela informa que não existiu essa ordem. Vale para nós essa posição e os documentos anexos à carta”.

 

Arce reforçou ainda que a redução da pressão de água para certos locais da cidade é uma providência necessária para reduzir as perdas por conta de vazamentos e não representa racionamento. “Essa medida está sendo usada desde 2008 e é feita em todo o mundo”.

 

O secretário disse também que o governo tem expectativas de resolver rapidamente a outorga para começar a fazer as obras de transposição do Sistema Paraíba do Sul para o Cantareira. "As coisas estão muito bem encaminhadas para que tenhamos essa outorga. É um assunto que está em andamento e que em breve teremos solução para começar essa obra".

 

Arce também defendeu a utilização da água de reúso para a recuperação dos reservatórios e lembrou que há dois projetos nessa área. Segundo ele, esse é uma das maneiras mais rápidas para melhorar a situação dos mananciais e um processo que já vem sendo usado no mundo inteiro.

 

“Um dos projetos é no Rio Pinheiros. Vamos construir um coletor e uma estação de tratamento para que essa água seja despejada no [Sistema] Guarapiranga. O outro retiramos de Barueri e levamos para Cotia para tratar e assim aumentamos a disponibilidade de água para uso humano”.

 

Arce destacou ainda as medidas tomadas pelo governo estadual para diminuir o consumo e garantir o abastecimento de água em São Paulo, como o aumento de bônus para quem aderir à economia. Além disso, Arce afirmou que o governo já está pronto para começar a extrair a segunda parte da reserva técnica. “Devemos começar a usá-la na semana que vem, porque acredito que a água da primeira parte acaba até o sábado”.