Santos 475 anos: história, muitas vocações e constante desenvolvimento

Por Prefeitura Municipal de Santos 

Que Santos é uma cidade cheia de predicados, os moradores da cidade não têm dúvidas. Abriga o principal porto da América Latina - que movimenta um terço da balança comercial do País -, o maior jardim de orla da praia do mundo, muitas áreas verdes e belezas naturais que atraem milhares de turistas e um comércio pujante, além de amplo histórico de participação nos principais acontecimentos do Brasil.

Tudo isso começou em 1532, com a chegada à região de Martim Afonso de Souza, fundador da Vila de São Vicente, que estava acompanhado de inúmeros homens, entre eles Braz Cubas, responsável pela fundação da Vila de Santos. Cubas transferiu o porto de São Vicente, que ficava na região da Ponta da Praia, para as proximidades do Outeiro de Santa Catarina e, em 1543, criou a Santa Casa de Misericórdia de Todos os Santos, o que teria contribuído para tornar o povoado conhecido pelo nome de Porto de Santos, elevado em 1546 à categoria de vila e, em 1839, à condição de cidade.

“No início do século 19, aparece uma figura importante para a cidade, José Bonifácio de Andrada e Silva, um dos articuladores da Independência do Brasil e que tinha uma visão à frente de seu tempo na luta contra a escravidão. Por esta importância, quase que a cidade foi chamada de Andradina, mas depois se decidiu por nomear como Santos”, explica o historiador da Fundação Arquivo e Memória de Santos (FAMS), José Dionísio de Almeida, lembrando que por aqui a libertação de escravos ocorreu dois anos antes da assinatura da Lei Áurea, em 1886.

O porto, naquele período, era formado por 18 trapiches e recebia cafés que vinham de São Paulo em lombos de burros - o que, posteriormente, tornou-se inviável. E foi aí que mais dois fatores se somaram para ocasionar o primeiro grande desenvolvimento da Cidade, por volta de 1890: a construção da ferrovia São Paulo Railway, que ligava Santos ao planalto e às lavouras de Jundiaí e cidades do interior, e do primeiro trecho do cais do Porto de Santos.

Por conta desse desenvolvimento, a população aumentou consideravelmente e acabou sofrendo com doenças e epidemias. Também teve início nesta época a migração da população para outros bairros. “Foram surgindo bairros como Vila Mathias, Vila Belmiro, até chegar à orla da praia que, por incrível que pareça, era considerada periferia e quase ninguém queria morar lá, porque a estrutura estava localizada no Centro. Depois a população ainda ocupou a Zona Noroeste e os morros até chegar no que é hoje”, pontua Almeida.

TURÍSTICA

A partir de 1910, Santos se tornou definitivamente uma cidade que atraía turistas, após a construção dos hotéis Internacional e Parque Balneário no bairro do Gonzaga e, posteriormente, em 1935, com a criação dos jardins da orla. Mais adiante, em 1947 a construção da Via Anchieta deu novo impulso ao desenvolvimento econômico e turístico.

 

Santos é reconhecida pela qualidade de vida

 

Nos últimos anos, a população santista assistiu à entrega de obras aguardadas há décadas. Entre os destaques estão a Nova Entrada da Cidade, conjunto de intervenções viárias (pontes, viadutos e corredores de ônibus etc) e de drenagem para amenizar os alagamentos causados pelas chuvas e melhoria da mobilidade urbana. Também houve a remodelação da Ponta da Praia e os modernos Centro de Convenções e Mercado de Peixes, que tornaram a região um novo atrativo, e a ampla remodelação das redes municipais de saúde e ensino, com a entrega de nove escolas, Complexo Hospitalar dos Estivadores, três UPAs, 11 policlínicas, novo Ambesp e a Clínica Escola do Autista, entre outras unidades.

“Atuamos intensamente para que a qualidade de vida seja sempre o maior patrimônio do santista e buscarmos igualdade social e oportunidades para todos”, destaca o prefeito Rogério Santos. Outros importantes investimentos foram a entrega de 1.500 moradias, escola de surfe adaptada, sede do Parque Tecnológico, três unidades do restaurante popular Bom Prato, sete Vilas Criativas, Centro de Controle Operacional (CCO) e novas bases da Polícia Militar, Museu Pelé, reforma e ampliação de equipamentos esportivos e novos eventos culturais, a exemplo do Santos Geek.

RECONHECIMENTO

Todos estes investimentos têm refletido nos indicadores e reconhecimento de Santos entre as cidades com melhor qualidade de vida no País. Ela é referência em saneamento básico e ficou em 1º lugar na pesquisa do Instituto Trata Brasil. No eixo Meio Ambiente, foi a melhor posicionada no ranking nacional Connected Smart Cities de 2020. Santos também ganhou, em 2015, o título de cidade criativa na área de audiovisual (cinema) pela Unesco.

A cidade se destaca também no esporte, sendo considerada a capital brasileira de triatlo, celeiro de atletas em várias modalidades e exemplo de acessibilidade às pessoas com deficiências por iniciativas como a primeira escola pública de surfe adaptado. Claro, é conhecida internacionalmente pelo Santos Futebol Clube, fundado em 1912 e que se tornou o time de futebol brasileiro mais admirado, desde a era Pelé até os títulos conquistados recentemente.

 

Foto: Arquivo Prefeitura de Santos