Policlínica em Santos inicia estimulação de bebês prematuros com brinquedos

Peças coloridas, em formatos variados e com emissão de som chamam a atenção dos bebês

 

Por Prefeitura Municipal de Santos 

A Policlínica Rádio Clube começou este mês um projeto-piloto de estimulação precoce a bebês prematuros, com atendimentos às terças e às quintas-feiras, das 8h às 16h, na sala de atividades coletivas da unidade. Nesta quinta-feira (22), esses atendimentos contaram com o reforço dos brinquedos comprados pelo Poder Judiciário por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Coloridos, de vários formatos, e com emissão de sons ao serem manipulados, eles buscam chamar a atenção dos pequeninos.

Coordenadora do Programa de Vigilância em Desenvolvimento Infantil, da Secretaria de Saúde de Santos, a pediatra neonatologista Maida Foppa explica que as equipes identificaram o Rádio Clube como o bairro com maior número de recém-nascidos considerados de risco: 56 bebês, nascidos a partir de janeiro de 2021, que integram o Programa de Recém-Nascido de Risco e precisam desses estímulos para desenvolver as partes orgânicas e neurológicas.

Em março, a ideia da estimulação precoce tomou corpo e ficou definido que esse atendimento especializado aos bebês ficaria a cargo de uma enfermeira e uma terapeuta ocupacional. Segundo destaca Maida, o projeto deve ser ampliado a todas as unidades básicas da Saúde.

ENCAMINHAMENTO

 "A estimulação das crianças deve ser feita a todo o momento", ressalta Maida Foppa. Há casos em que é recomendada a consulta mensal dos bebês e o ensinamento aos pais para seguirem com atividades com os filhos e, nos casos mais graves, é feito o encaminhamento dos recém-nascidos para o Centro Especializado em Reabilitação (CER).

Entre os fatores de risco que podem levar ao atraso no desenvolvimento da criança estão quantidade de pessoas residentes no domicílio, quantidade de cômodos, condições de moradia e higiene, higiene da criança, dificuldade de acesso à alimentação adequada, constituição familiar, idade dos pais, renda familiar, escolaridade dos pais e acesso a brinquedos. Também são levadas em consideração questões como onde o bebê dorme, o local onde passa a maior parte do tempo e sinais de violência familiar.

BENEFÍCIOS

A chefe do Departamento de Vigilância em Saúde de Santos, Ana Paula Viveiros Valeiras, lembra que inúmeras pesquisas demonstram que, se um trabalho de estimulação precoce for iniciado principalmente nos primeiros anos de vida, repercutirá em grandes benefícios ao desenvolvimento da criança. "Para isso, é necessário o acompanhamento das crianças pela equipe especializada de saúde e também o comprometimento da família frente às orientações e encaminhamentos".

 

Foto: Rogério Bomfim