Equipamentos públicos mudam vidas de pessoas que vivem nas ruas

30/12/2014

 

O Albergue Municipal e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social para População em Situação de Rua acolhem, cuidam e oferecem alternativas que os assistidos sejam inseridos na sociedade

 

Coordenados pela Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social, o Albergue Municipal José Calherani e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social para População em Situação de Rua (CREAS POP) são referências no atendimento à pessoa adulta em situação de vulnerabilidade social. Voltados ao acolhimento e inserção na sociedade, juntos os dois órgãos reúnem exemplos de sucesso em oferecer melhores oportunidades à população em situação de rua.

 

Nos dois últimos anos, os serviços conseguiram retirar 23 pessoas das ruas da Cidade, que passaram a viver novamente com sua família ou partiram para uma vida própria, com moradia e emprego. Para a coordenadora do Creas Pop e assistente social, Marlene Oliveira dos Santos, o trabalho dos dois órgãos é de extrema importância. “É um trabalho difícil atrair o morador de rua para um atendimento especializado a fim de que ele mude de vida, por isso este número é feito muito significativo”, afirma Marlene.

 

O trabalho do Creas Pop acontece até um determinado momento, pois dependendo da necessidade da pessoa, ela passa a frequentar o Albergue Municipal. Para a, a atenção dobra para o munícipe. “A intenção é que a partir do Albergue, este morador passe a criar autonomia e comprometimento com as regras do setor, que são necessárias para que ele crie a própria vida”, explica a coordenadora do Albergue Municipal, Bruna Silva Alves, ressaltando que, assim como o Creas, o equipamento público também tem regras, como os horários, que muitas vezes intimidam a população que vive em situação de rua.

 

Para Bruna, as medidas disciplinares auxiliam para que este morador “se torne alguém na sociedade”.Um dos beneficiados pelos serviços municipais, Marco Aurélio Galle, de 44 anos, conta com orgulho como deu a volta por cima e conquistou moradia, família e emprego. “É emocionante já que anos se passaram recebendo ajuda das pessoas do Albergue e do Creas Pop. Tenho certeza que sou um exemplo de como é possível mudar de vida”, afirma o antigo morador de rua, que hoje é caminhoneiro e também casou recentemente. “Hoje,eu dou muito mais valor as coisas simples.O Albergue e o Creas Pop me ensinaram a ver um outro lado da vida. Um lado que não conseguia ver quando era morador de rua. Sou eternamente grato”, concluiu Galle.

 

Também feliz com sua nova fase, o aposentado Francisco Carlos Bento, de 54 anos, diz que, se não fosse pelo serviço dos dois setores, talvez não tivesse mais meios de contornar a situação. Pescador, ele dormia em um barco em Santa Cruz dos Navegantes e conta que foi encaminhado ao Creas Pop com uma perna lesionada há mais de duas semanas. “Eu morava na Santa Cruz dos Navegantese não tinha como me tratar. Por sorte, recebi toda atenção necessária”, explicou Bento, que conseguiu adquirir uma moradia em Vicente de Carvalho.

 

Hoje, ele se sente inteiramente agradecido, pelos funcionários dos dois setores da Prefeitura. “Sem esse apoio e dedicação, com certeza, não teria proporcionado tamanha mudança em minha vida”.

 

Creas Pop

 

O Creas Pop é tem como objetivo criar vínculo com o morador de rua. Segundo a coordenadora do Creas Pop, a partir do momento em que a equipe de vistoria 24 horas encontra ou é solicitada, os funcionários do setor oferecem auxílio de assistência social, oferecendo higienização e alimentação gratuita no Restaurante Popular do Santo Antônio, além de regulamentação de documentos (RG, cadastro único, certidão de nascimento).

 

Após este processo, o Creas Pop parte para a fase de direcionamento de serviço, que pode variar de acordo com a necessidade do munícipe. Hoje, o setor consegue direcionar a pessoa em situação de rua para serviços como elaboração de currículo e procura de emprego no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT); aulas de Educação para Jovens e Adultos (EJA) ou em Centros de Atividades Educacionais Comunitários (Caec); e por fim a família, ou Albergue, dependendo de sua situação e disponibilidade de ambos.

 

Para os moradores de rua que vêm de outras cidades, os migrantes, o serviço é diferenciado, focando no retorno dessa pessoa para sua Cidade. Este morador recebe auxílio necessário da secretaria para que não continue no Guarujá, caso contrário, ele pode ficar três noites no Albergue, porém não recebe o auxílio gratuito após a estadia temporária. “ O trabalho do Creas Pop é ganhar a confiança do morador, para que o munícipe volte para a família ou crie uma vida nova, e que o migrante retorne para sua cidade”, explicou Marlene.

 

A unidade fica aberta de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, na Avenida Adriano Dias dos Santos, 303, no Jardim Boa Esperança. O telefone do Creas Pop é 3384-2756.

 

Albergue

 

Após receber o morador em situação de rua, o setor passa a desenvolver atividades semelhantes ás do Creas Pop, só que com foco diferente. O migrante, se escolher passar um tempo no Albergue, tem o direito ficar três noites no setor, porém não receberá ajuda para retornar à sua cidade. Já o munícipe recebe a intensificação dos benefícios oferecidos pelo Creas, tendo como direito, ficar até seis meses em estadia, seguindo as regras exigidas, quanto a horários e organização.

 

A coordenadora do Albergue, Bruna Silva, afirma que para que o morador se sinta bem, são feitas diversas ações que contribuem com o entretenimento, como cinema, passeios a lugares turísticos e festas em datas comemorativas. “Essas ações são importantes para tirar o paradigma do lugar ‘albergue’ visto por eles. Nossa intenção é oferecer o melhor sempre para os que abrigamos”, conclui.

 

O Albergue Municipal fica na Rua Manoel Otero Rodrigues, 853, no mesmo bairro. O telefone é 3387-6016.

 

Fonte:http://portal.guaruja.sp.gov.br/2014/12/equipamentos-publicos-mudam-vidas-de-pessoas-que-vivem-nas-ruas/