Polícia identifica suspeitos de morte de policial no sul de Paris

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agência Lusa -09.01.2015 - 13h11

 

 

 

A polícia francesa divulgou nesta sexta-feira (9) os nomes e fotografias de um homem e de uma mulher suspeitos do assassinato de uma policial na quinta-feira em Montrouge, periferia sul de Paris.

 

 

 

 

Amedy Coulibaly, 32 anos, e Hayat Boumeddiene, 26, “são perigosos e podem estar armados”, segundo um comunicado, que pede a quem tenha qualquer informação sobre eles que entre em contato com as autoridades.

 

Um homem fortemente armado disparou na quinta-feira contra uma agente da polícia municipal e um varredor em Montrouge, no sul de Paris, ferindo ambos. A agente morreu pouco depois.

 

Leia também:

 

Pelo menos duas pessoas foram mortas em loja no sul de Paris

 

Polícia segue suspeitos de atentado, que já fizeram reféns

 

Estado Islâmico considera heróis autores do ataque ao jornal "Charlie Hebdo"

 

Fontes policiais citadas pela imprensa francesa disseram que o suspeito do incidente de quinta-feira é provavelmente o mesmo homem que hoje sequestrou pelo menos cinco pessoas numa loja ‘kosher’ na Porta de Vincennes, no leste de Paris.

 

Segundo fonte próxima do processo citada pela agência France Presse, um tiroteio na loja fez pelo menos dois mortos.

 

Vários ‘media’ noticiaram hoje que Coulibaly, que tem cadastro policial, conhecia os dois irmãos acusados do ataque de quarta-feira contra o jornal satírico Charlie Hebdo, Said e Cherif Kouachi.

 

Segundo a rádio France Info, o suspeito vive em Fontenay-aux-Roses, próximo de Montrouge, e “está ou esteve em contato” com um grupo ‘jihadista’ designado “rede de Buttes Chaumont”, onde se radicalizou Charif.

 

Fontes policiais citadas pela agência France Presse informaram nesta sexta que os investigadores estabeleceram “uma conexão” entre os dois ‘jihadistas’ acusados do ataque ao Charlie Hebdo e o suposto assassino de uma agente da polícia no dia seguinte.

 

Segundo as fontes, o suspeito de Montrouge foi identificado e duas pessoas que lhe são “muito próximas”, do “quadro familiar”, foram detidas na manhã desta sexta.

 

As detenções ocorreram em um bairro da cidade de Grigny, no sul dos arredores de Paris, segundo o presidente da câmara local, Philippe Rio.