Obama encurta visita à Índia para ir à Riade por causa da morte do rei Abdullah

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agência Lusa                                  24/01/15 14h13 

 

 

O presidente americano não visitará o Taj Mahal e encurtará sua visita à Índia, onde é esperado no domingo (25), para se deslocar à Arábia Saudita após a morte do rei Abdullah. O anúncio foi feito neste sábado (24), pela Casa Branca.

 

 

Barack Obama e a sua mulher Michelle se deslocarão à capital do país, Riade, na terça-feira (27) para apresentar as condolências “em nome do povo norte-americano” ao novo rei da Arábia Saudita, Salman, que assumiu após a morte do seu meio-irmão, Abdullah, disse o porta-voz, Josh Earnest.

 

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, e o presidente francês, François Hollande, assim como o chefe da diplomacia do Irã, Mohammad Javad Zarif, estão entre os chefes de Estado e autoridades esperadas na capital saudita.

 

Era o vice-presidente, Joe Biden, quem representaria os Estados Unidos, em Riade. Josh Earnest informou que a ida dele “coincidia com a partida do presidente para a Índia” e Obama decidiu, então, modificar o programa presidencial em conversas com o governo indiano.

 

O presidente americano é esperado no domingo de manhã na capital indiana onde será recebido pelo primeiro-ministro, Narendra Modi. Na segunda-feira (26), ele assistirá ao desfile militar do Dia da República em Nova Deli.

 

Nesta sua segunda visita à Índia, Obama tinha previsto conhecer o célebre monumento dedicado ao amor e principal atração turística do país. Earnest precisou que o presidente lamentava não poder visitar o Taj Mahal, o imenso mausoléu construído pelo imperador mongol Shah Jahan, em memória da sua mulher Mumtaz Mahal, que morreu após um parto em 1631.