Volume do Cantareira tem vigésima alta seguida e atinge 10,8% de sua capacidade

 

Agência Brasil                                                                  25/02/15 11h35 

 

 

 

O nível do sistema Cantareira, principal manancial de abastecimento da região metropolitana de São Paulo, voltou a subir atingindo hoje (25) 10,8% de sua capacidade com acréscimo de 0,1 ponto percentual em relação à medição de ontem (24). Essa foi a vigésima alta consecutiva, mesmo com a diminuição do volume de chuva, nos últimos dias.

 

Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), desde o último dia 20 não chovia sobre o Cantareira onde, de ontem (24) pra hoje, caiu mais 11,3 milímetros (mm), elevando o total captado em fevereiro para 277,8 mm – bem acima da média histórica de fevereiro (199,1 mm).

 

A água que entrou nos seis reservatórios do sistema, somada à quantidade que deixou de ser retirada por conta da economia no consumo e restrições de vazão, permitiram a reposição da segunda cota do volume morto (equivalente a 105 bilhões de litros) que começou a ser usada em 15 de novembro último e o começo da recuperação da primeira cota do volume morto (água mais ao fundo das represas, abaixo das comportas e que precisa ser bombeada).

 

De acordo com as previsões do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), as áreas de instabilidade vão continuar nos próximos dias, com menor intensidade. As precipitações devem ocorrer de forma mais isolada.

 

Mais três dos seis mananciais administrados pela Sabesp tiveram elevações: Guarapiranga (de 57,4% para 58,7%); Rio Grande (de 83,1% para 83,4%) e Rio Claro (de 35,4% para 35,5%). No Alto Tietê, o nível permaneceu estável em 18,3% e no Alto Cotia houve queda, passando de 83,1% para 83,4%.