Há 23 anos, morria Irmã Dulce

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Radioagência Nacional                                                                              13/03/15 09h15 

 

 

 

A trajetória religiosa de Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes começa em 1933 ao entrar para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, na cidade de São Cristóvão, em Sergipe.

 

Após seis meses de noviciado, aos 19 anos, fez sua profissão de fé e votos perpétuos, se tornando freira e recebendo o nome de Irmã Dulce, em homenagem a sua mãe. Três anos mais tarde, volta à Bahia.

 

Mesmo com a saúde frágil, Irmã Dulce construiu e manteve uma das maiores e mais respeitadas instituições filantrópicas do país. Durante mais de 50 anos ela se entregou à caridade e amor ao próximo.

 

Em outubro de 1991 recebe, em Salvador, a visita do Papa João Paulo II para a bênção e a extrema unção. O "anjo bom da Bahia" morreu de causas naturais, aos 77 anos no dia 13 de março de 1992 e em 2011 foi beatificada em Salvador.

 

Irmã Dulce pode se tornar a primeira Santa Católica nascida no Brasil.