MTST faz ato por moradia em vários pontos de São Paulo

Agência Brasil                                                                                          18/03/15 11h35 

 

 

Como parte das manifestações que ocorrem hoje (18) em 13 capitais, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparam por volta das 10h20, a Rua Doutor Luiz Aires, no sentido centro, próximo ao estádio do Corinthians, em Itaquera, um dos trechos da radial Leste, um dos principais corredores de ligação dos bairros da zona leste com a região central da cidade de São Paulo.

 

“A nossa reivindicação é no sentido de exigir, além do lançamento imediato da Fase 3 do Programa  Minha Casa, Minha Vida prometido pelo governo federal, em 2014, o recuo do ajuste fiscal e a retomada do Programa Minha Casa Melhor, que possibilitava a compra de móveis e outros bens para casa, justificou Maria das Dores Cerqueira, uma das coordenadoras do MTST nacional. Ela assinalou que o ajuste fiscal é medida antipopular que afeta diretamente a classe trabalhadora. Nós defendemos um programa habitacional.

 

Segundo a Polícia Militar, por volta das 10h40, havia registros de cinco manifestações do MTST na capital paulista. Uma delas, com cerca de 200 pessoas, na Avenida Teotônio Villela, Cidade Dutra, no extremo sul da cidade. Outra interdição foi na Estrada M'Boi Mirim, com cerca de 300 pessoas, também no extremo sul.

 

Na Régis Bittencourt, nesse horário, de acordo com a corporação, 100 pessoas ocupavam o canteiro central. A via foi liberada por volta das 10h30. Na Avenida Gabriela Mistral, esquina com a Assis Ribeiro, na zona leste, havia um ato com 20 pessoas e na Rodovia Raposo Tavares, zona oeste, outra manifestação com 50 pessoas. Na Raposo, mais cedo, os manifestantes interditaram as duas vias.

 

O protesto que ocorre em outras capitais do país tem o objetivo de pressionar o governo federal para lançar a Fase 3 do Programa Minha Casa, Minha Vida, voltando atrás na decisão do ajuste fiscal. Na cidade de São Paulo e em outros municípios da região metropolitana estão previstas manifestações com obstrução de dez vias de circulação de veículos.

 

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), houve também protestos na Marginal Pinheiro, na zona sul, no sentido Rodovia Castelo Branco; na Marginal Tiete, na zona norte, no sentido Rodovia Ayrton Senna, na altura da ponte Governador Orestes Quércia; no Terminal João Dias e na Avenida Giovanni Gronchi, ambas na zona sul, e na Avenida Ragueb Chohfi no extremo leste da capital.