Há 16 anos terminava a Guerra do Kosovo

Radioagência Nacional                                                                 09/06/15 12h36 

 

No dia 9 de junho de 1999 foi assinado o acordo que colocava fim a um grave conflito. A Guerra do Kosovo começou no dia 24 de março, na Iugoslávia. Foram 79 dias de intensos bombardeios. De um lado, a província, Kosovo, lutando pela independência, e de outro, as forças sérvias, sob a liderança do presidente iugoslavo, Slobodan Milosevic, que não aceitava perder a província.

 

 

Kosovo era uma província que tinha uma composição étnica e religiosa diferente da maioria da Iugoslávia, que era sérvia. Os kosovares são de origem albanesa e muçulmana, enquanto os sérvios são cristãos ortodoxos. Como 90% da população de Kosovo é albanesa, iniciou-se um movimento gerado pelos kosovares que buscava a separação de sérvios e albaneses, para que estes últimos tivessem autonomia.

 


 
Slobodan Milosevic enviou tropas para a região com a ordem de aniquilar por completo a rebelião dos kosovares. Os ataques aéreos mataram um grande número de civis inocentes. Diante dos ferozes ataques comandados pelo presidente da Iugoslávia, a ONU enviou suas tropas para os Balcãs a fim de colocar um ponto final nas ações militares.

 


 
Um ultimato da Otan foi entregue a Milosevic. O documento ordenava a suspensão dos ataques militares contra Kosovo. Com a recusa da proposta de cessar-fogo, as tropas lideradas pelos Estados Unidos intervieram com a ofensiva militar, obrigando Milosevic a aceitar um acordo de Rambouillet, que propunha autonomia administrativa e cultural para a província de Kosovo, mas sem independência.

 


 
Com a chegada das tropas da OTAN em Kosovo, foi instaurado um governo provisório, sob responsabilidade da ONU. Ao fim do conflito, Milosevic foi preso sob a acusação de cometer crimes contra a humanidade.