Plano Metropolitano de Resíduos Sólidos da Baixada Santista ganha força

30/07/2015

 

Recursos foram aprovados em reunião do Fehidro, que teve a participação da chefe do Executivo

 

O Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) definiu regras para a aplicação de recursos que não haviam sido utilizados na sua totalidade, o que vai permitir que sejam reabertas inscrições de novas propostas. Com isso, as prefeituras que não tiveram aprovados os seus projetos poderão reapresentá-los, ou apresentar novos projetos. A chefe do Executivo guarujaense é presidente do Comitê de Bacias Hidrográficas da Baixada Santista e destacou que a Região poderá destinar recursos para a execução do Plano Metropolitano de Resíduos Sólidos.

 

A decisão foi tomada em reunião realizada recentemente, em São Paulo, na sede da Secretaria de Recursos Hídricos, que teve a presença do secretário estadual da pasta, Benedito Braga e prefeitos de várias cidades, que são os representantes das Bacias Hidrográficas das regiões estaduais.

 

“Para a Baixada Santista vamos poder destinar recursos para a execução do Plano Metropolitano de Resíduos Sólidos. Isso é muito importante, pois todas as cidades poderão alinhar seus planos municipais a toda região, definindo assim as estratégicas e destinação desses resíduos”, disse a chefe do Executivo e presidente do Comitê de Bacias Hidrográficas da Baixada Santista.

 

A governante também ressaltou que o Fehidro faz todo o regramento dos investimentos dos comitês de Bacias Hidrográficas em termos de infraestrutura, educação do uso racional da água e também dos investimentos estruturantes para cada Bacia, daí a importância das decisões tomadas nas reuniões da entidade.

 

Na reunião também foi definida a utilização de R$ 42 milhões (R$ 9 milhões do Fehidro e o restante aporte do Governo do Estado) para o setor privado, o que irá permitir que pessoas jurídicas da iniciativa privada, inclusive pequenos e microempreendedores, possam utilizar o financiamento para modernizar e adequar instalações, a fim de diminuir o consumo de água.

 

“O projeto piloto vai priorizar as regiões que tiveram problemas com a crise hídrica e situações de emergência. Isto vai mudar o paradigma de uso de recursos, pois até um condomínio vai poder solicitar recursos financiados com juros baixos, para fazer reuso da água ou outras ações que permitam a redução do consumo da água”, explicou.

 

Na reunião também foram discutidas propostas e adequações de resoluções que são que serão adotadas em todas as bacias hidrográficas do Estado. Além da chefe do Executivo de Guarujá, estiverem os prefeitos de Botucatu, Assis, Sertãozinho, Piquete e Santo Antônio da Alegria.

 

Fonte:http://portal.guaruja.sp.gov.br/2015/07/plano-metropolitano-de-residuos-solidos-da-baixada-santista-ganha-forca-2/