Público lota arquibancada na estreia da 36ª Encenação da Fundação da Vila de São Vicente

Todos os olhos pareciam estar voltados para a arena montada na Praia do Gonzaguinha na noite dessa sexta-feira (19). Após dois meses de ensaios, aproximadamente 1,2 mil vicentinos envolvidos na 36ª edição da Encenação da Fundação da Vila de São Vicente finalmente se apresentaram para cerca de 5 mil pessoas.

Pelas reações, o esforço valeu à pena. Em meio à emoção, o público aplaudiu a estreia do maior espetáculo em areia de praia do mundo, que prossegue até o dia 25, sempre às 20h, na Arena do Gonzaguinha, na Praça Tom Jobim.

Enredo - Este ano, além da história das origens da primeira vila do Brasil, é homenageado o Santo André de Soveral, padre vicentino canonizado em 2017, pelo Papa Francisco. Com o tema "Santo de Cada faz milagre", a peça exaltou as contribuições dadas pela Cidade ao Brasil.

O público, que chegou cedo, celebrou a participação dos 800 atores da comunidade. Como de praxe, a participação dos grandes artistas também não passou imune. Neste ponto, o mais aclamado foi Felipe Simas, que interpretou André de Soveral.

Ponto alto da Encenação, a chegada de Martim Afonso de Sousa (André Coelho) a São Vicente também arrancou aplausos. A esposa do fundador da vila, Anna Pimentel (Iris Stefanelli), também esteve representada. Ela governou à distância a Vila de São Vicente, tornando-se a primeira mulher a exercer algum tipo de governo no Brasil. No elenco, ainda estão Marissol Dias (Índia Bartira), Rick Moreno (João Ramalho), Thammy Miranda (navegador holandês) e Jairo Martins (Tibiriçá).

Dentre as novidades, estão os núcleos cigano e de escravos, e a potente voz do tenor, Ezio Bonini, que se apresentou ao vivo. A caravela voltou a ganhar a baía de São Vicente, atendendo a um anseio do público. Sucesso em 2017, a atuação dos "calixtos", artistas que pintam quadros durante o espetáculo, foi mantida.

O prefeito Pedro Gouvêa estava animado para o primeiro dia. "Essa é uma festa que precisamos divulgar, fazer o Brasil todo conhecer porque nos enche de orgulho". Já, o secretário de Cultura, Fábio Lopez, destacou e convidou o público para assistir "venham assistir ao espetáculo porque foi tudo feito especialmente para o público, para emocioná-lo e fazer com que conheçam um pouco mais a história de São Vicente".

Estrutura - A arquibancada da arena tem capacidade para até 5 mil lugares, e está dividida em três setores: Índia Bartira (setor 1), Tibiriçá (setor 2) e João Ramalho (setor 3), além dos camarotes.

O ingresso para o setor Índia Bartira, centralizado, custa R$ 5. Já os setores Tibiriçá e João Ramalho, que são laterais, têm entradas fixadas em R$ 2. Os camarotes Martim Afonso e Anna Pimentel estarão destinados a apoiadores e patrocinadores do evento.

Crianças de até 3 anos não pagam ingresso. Já os idosos acima de 60 anos e estudantes têm 50% de desconto, desde que apresentem o RG/ carteirinha de estudante no momento da entrada. Todo o dinheiro arrecadado será revertido ao Fundo Social de Solidariedade de São Vicente (FSS).

A 36ª edição da Encenação da Vila de São Vicente prossegue até o dia 25 de janeiro. O espetáculo é uma realização da Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Cultura e do Fundo Social de Solidariedade, e conta com a produção artística e executiva da Associação de Desenvolvimento Econômico e Social às Famílias (Adesaf) e o patrocínio da Ecovias.