Damares e representante da Unesco no Brasil conversam sobre cooperação

Por Agência Brasil*

 

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, recebeu hoje (7) a diretora da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil, Marlova Noleto, para debater a cooperação entre as duas instituições. No encontro, a ministra abordou a situação de crianças abusadas no país.

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, fala à imprensa no CCBB. Ela também ficará responsável pela Funai.
A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves - Valter Campanato/Agência Brasil

Damares citou os dados da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos do Senado Federal, instalada em 2017. “O relatório mostrou que chegamos ao caos do caos", disse. 

Segundo a ministra, a CPI revelou que 65% das crianças abusadas são por alguém da própria família e 95% por alguém que a família conhece. "Então, o fortalecimento da família é o projeto ideal, mas a família muitas vezes se omite. É conivente”, lamentou.

Para Marlova Noleto, os fatos relatados pela ministra “são perturbadores”. “A gente vê que o Brasil tem um problema de valores, e talvez isso seja o mais grave hoje, que se traduz em crise de valores. Noto que muitas famílias terceirizam a educação dos filhos, e isso muitas vezes acaba mal”, afirmou.

Marlova destacou a disposição do governo do presidente Jair Bolsonaro de desenvolver projetos para a juventude. "O Brasil tem hoje uma população grande de jovens, nesse sentido criou-se uma janela demográfica, e é preciso fazer frente ao trabalho com os jovens”, disse.

*Com informação da Assessoria de Comunicação do Ministério  da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos