Em Santos - Corte Carnavalesca é eleita em festa comandada por Neguinho da Beija-Flor no Valongo.

 

Por Prefeitura Municipal de Santos 

O clima esquentou pra valer no sábado (19) à noite, com Neguinho da Beija-flor, fechando em grande estilo a festa de eleição de Rei Momo, Rainha e Princesa do Carnaval 2019, que começou às 14h e atraiu cerca de 15 mil pessoas durante as quase nove horas de atrações nos Arcos do Valongo (Centro Histórico).

Na oportunidade, o secretário de Cultura, Rafael Leal, anunciou o retorno das arquibancadas à Passarela do Samba Dráusio da Cruz, na Zona Noroeste, e lembrou que, naquela data (19 de janeiro), há 37 anos, morria Elis Regina, uma das maiores cantoras do País.

O público comemorou, com gritos e aplausos a decisão dos jurados, que escolheram Rosany de Oliveira Santos, da GRES Real Mocidade, como Rainha do Carnaval 2019. De braços abertos e aos prantos, ela recebeu da antecessora, Suelly Neves de Jesus, faixa, coroa, manto, cetro e ramalhete de rosas. “Minha missão é levar samba e amor para as pessoas”, afirmou. Representando a GRES Dependente do Samba, Marisa dos Santos foi eleita Princesa do Carnaval e recebeu a faixa da titular do ano passado, Janaína Cirillo da Silva.

Emocionado até as lágrimas, Sérgio Vicente da Graça, o Cipó, da GRES Unidos da Zona Noroeste, foi coroado Rei Momo do carnaval santista, sob coro de “ele merece”, entoado por longos minutos pelo público. E fez a festa ainda no palco, comemorando o título que finalmente chegou após sete anos de tentativas. Assumiu a majestade e posou para fotos e selfies e distribuiu beijos. Abraçou Silas de Oliveira, o titular de 2018, e Benedito de Andrade, o Ditinho, presidente da Liga Independente Cultural das Escolas de Samba de Santos (Licess).

A Corte Carnavalesca 2019 se completou com Helena Cristina Ferreira, da GRES União Imperial, como Cidadã Samba, e Luiz Carlos Pereira, o Nenê da Brasil, como Cidadão Samba. O empresário Geraldo Pierotti, o Comendador do Samba, também foi homenageado, e mostrou por que é reverenciado ao interpretar o samba de sua autoria ‘Pastores da Noite’, composto para o carnaval de 1978.

 

NEGUINHO DA BEIJA-FLOR

Foi ao som de ‘Upa, Neguinho’, canção eternizada na interpretação de Elis Regina, que Neguinho da Beija-flor subiu ao palco, para deleite do público, que cantou todas as música e até recebeu elogios do compositor e intérprete. “A maior felicidade do mundo é vir a uma festa e ver todo mundo cantando junto”, afirmou o Embaixador do Carnaval santista 2019.

E aí foram sucessos atrás de sucessos: ‘Neguinho e a Senhorita’; ‘Fim de nós’; ‘Minha Rainha’; ‘Lágrimas do Coração’; ‘Malandro é malandro, mané é mané’; ‘A mulher do Malandro’; ‘Malandro também chora’, de sua autoria, e ainda ‘Canta, canta, minha gente’, de Martinho da Vila; ‘Bem melhor que você’, de Bezerra da Silva; ‘Senhora tentação’, de Cartola, e ‘Sonho meu’, de Ivone Lara, entre muitos outros clássicos do repertório nacional.

 

ATRAÇÕES

As crianças tiveram espaço especial durante a festa, com escorregador, pula-pula, piscina de bolinhas e casinha. No galpão do Arcos do Valongo, foi instalada uma área de alimentação, com pizza, sorvete mexicano, brigadeiro, bebidas e um telão para acompanhar as atrações do palco, armado ao ar livre.
Junto ao acesso principal, o Encontro os Criadores contou com 16 expositores, com acessórios, itens de decoração, biojoias, estamparia, geleias, cachaças artesanais e comercialização de discos de vinil. Para completar as atrações, Espaço Afro Samba, com artesanato afro, turbantes e roupas feitas com tecidos africanos.

Fotos: Raimundo Rosa