Mais de 50 detentos continuam amotinados em presídio de Maringá

Andreia Verdélio - Agência Brasil20.10.2014 - 10h04 | Atualizado em 20.10.2014 - 10h22

 

 

A Polícia Militar e a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju) do Paraná matêm, hoje (20), as negociações para o fim do motim na Penitenciária Estadual de Maringá. Na tarde de ontem (19), alguns presos fizeram dois agentes penitenciários reféns.

 

Leia mais notícias:

 

Presos libertam reféns e encerram rebelião no Paraná

 

Segundo a Seju, cerca de 56 presos estão amotinados, isolados em uma das galerias do presídio e não foram seguidos por outros detentos. Nos últimos meses, duas rebeliões aconteceram em penitenciárias no estado, em Cascavel e em Guarapuava.

 

Na sexta-feira (17), o governo do estado anunciou medidas para conter motins de presos. Entre elas, a investigação dos responsáveis e dos motivos das rebeliões ocorridas em 2014; a revisão dos procedimentos de segurança dos agentes penitenciários e a ampliação da automação nos presídios.