Em um mês, ataques da coligação internacional matam 553 na Síria

Ana Cristina Campos - Agência Brasil23.10.2014 - 09h48

 

 

Os ataques aéreos da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos contra os jihadistas mataram 553 pessoas na Síria desde 23 de setembro, informou hoje (23) a organização não governamental (ONG) Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Segundo a ONG, os mortos incluem 32 civis, entre eles seis crianças e cinco mulheres.

 

De acordo com o Observatório, também morreram 464 extremistas do Estado Islâmico e 57 que faziam parte do grupo Al Nusra (grupo jihadista ligado à Al Qaeda).

 

Leia também no portal EBC:

 

Presidentes dos EUA e Turquia prometem reforçar luta contra o Estado Islâmico

 

Papa pede atuação adequada da comunidade internacional contra Estado Islâmico

 

A ONG ressaltou que muitos dos alvos foram instalações petrolíferas nas regiões de Der-Ezzor, Al Hasakah e Al Raqqa. O objetivo dos ataques é atingir uma das principais fontes de receita do Estado Islâmico.

 

Os jihadistas, que controlam várias refinarias no Iraque e na Síria, revendem o petróleo no mercado negro a intermediários dos países vizinhos, com lucros que, segundo especialistas, podem ficar entre US$ 1 milhão e US$ 3 milhões por dia.