Santista vira panificadora e consegue construir a casa própria

 

Por Prefeitura Municipal de Santos 

Cheirinho de pão no ar. Ou melhor, na cozinha. O local é a Padaria Artesanal, que fica no Fundo Social de Solidariedade de Santos (FSS). Cristiane Pereira Santos, de 32 anos, moradora do Morro Santa Maria, decidiu que era hora de aperfeiçoar as habilidades culinárias e tornou-se uma verdadeira especialista em fazer pães, tortas, bolos e biscoitos. Profissional de mão cheia, faz parte dos milhares de ex-alunos dos cursos oferecidos pelo projeto e só tem a comemorar nesta semana em que se celebra o Dia do Panificador (8 de julho). Afinal, foi graças à nova atividade, uma das mais procuradas por quem precisa ganhar dinheiro, que conseguiu aumentar a renda familiar e construir a casa própria.


Conhecida por Cris, ela já é referência na região onde mora. As encomendas chegam por telefone, aplicativo de mensagens ou pessoalmente e as redes sociais tornaram-se aliadas na divulgação do que mais ama fazer, que é cozinhar. ''Eu sempre gostei. Aprendi com minha mãe e pesquisava na internet. Decidi fazer o curso para aprender mais. Agora, o que eu ganho complementa a renda da casa e, se não fosse isso, faria falta''.


Orgulhosa, a panificadora, casada e com dois filhos, um menino de 11 e uma menina de 5 anos, conta que a casa onde mora está em obras graças ao dinheiro extra que começou a entrar. O dia a dia não é fácil. Os pedidos são diários e aumentam aos finais de semana, o que exigiu que ela se organizasse para atender à demanda. E com a renda maior, já pensa até em aumentar a cozinha, que há pouco tempo ganhou um forno industrial.

Ao fazer o curso, Cris aprendeu dicas importantes e o quanto faz diferença a maneira de sovar a massa e de lidar corretamente com o fermento. ''A Cris já tem habilidades naturais. É muito organizada, o que faz a diferença na hora de fazer uma encomenda'', conta Maria Judite Pereira Carneiro, sua ex-professora.

PROJETO

Criado em 2002 pelo Governo do Estado, o projeto Padaria Artesanal realiza aulas em Santos em cinco locais (veja relação de endereços abaixo). Uma das principais referências para futuros panificadores, já formou mais de 17 mil alunos, que participam de sete aulas divididas em duas semanas.

Segundo a presidente do FSS, Maria Ignez Barbosa, a escolha de locais estratégicos para a realização dos cursos foi fundamental para facilitar a vida das pessoas que precisam ter acesso às atividades, mas que muitas vezes sequer teriam dinheiro para o transporte.

RECEITAS DE DESTAQUE

Das cozinhas da Padaria Artesanal nasceram receitas curiosas que ganharam destaque. Uma delas surgiu em Santos e foi apresentada especialmente para o 13º Encontro Anual de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que ocorreu em Fabriano, na Itália, no último mês de junho.

A massa escura e delicada, de sabor levemente adocicado, foi criada por Maria Judite na Padaria Artesanal do FSS. Leva malte, banana e açúcar mascavo, ingredientes que contam um pouco da história e da cultura da região. A receita deu tão certo que já faz parte dos cursos.

Já o pão de cenoura com goiabada, criado pelo projeto Padaria Artesanal, é uma receita simples e saborosa que foi compartilhada em todo o mundo pelo programa internacional Days of Bread (Dia de Pão), lançado em junho de 2018, e divulgada em uma plataforma digital, junto com outras receitas de pães de várias partes do mundo. A receita foi selecionada por ter relação com o combate à fome e à desigualdade


CURSOS

Os cursos nas unidades da Padaria Artesanal ocorrem o ano inteiro. Para participar, é preciso ser morador de Santos e maior de 18 anos e ter renda per capita de até dois salários mínimos. Veja os locais das atividades:

  • Fundo Social de Solidariedade de Santos (Avenida Conselheiro Nébias, 388, Encruzilhada)
  • Vila Criativa Vila Nova (Praça Rui Ribeiro Couto s/nº)
  • Vila Criativa Morro da Penha (Rua Brigadeiro Newton Braga, 39)
  • Vila Criativa Vila Progresso (Rua 3 s/nº)
  • Vila Criativa Zona Noroeste (Av. Hugo Maia, 293)

 

ORIGEM DO PÃO

Difícil apontar a data exata em que surgiu o pão. Historiadores apontam para 12 mil anos atrás, na Mesopotâmia. O fato é que o alimento, de massa consistente, que pode adquirir várias formas, é o mais popular do planeta e representa a base alimentar de muitas regiões. Como importante fonte de nutrição, ganhou importância cultural e religiosa com o passar dos anos.

Os primeiros eram achatados, duros e secos. Em 7000 a.C surgiu o pão assado no forno de barro, no Egito, onde mais tarde descobriu-se o fermento. Na Europa, chegou às padarias em 250 a.C., mas passou a ser feito em casa com a queda do Império Romano. A partir do século XII, a França foi aprimorando as receitas, destacando-se como referência mundial de pães.

 

Foto: Raimundo Rosa