Polícia tenta conter protestos na Catalunha

Protestos foram contra a prisão de líderes que lutam por independência

 

Por RTP (Rádio e Televisão de Portugal) - Lisboa

O governo espanhol emitiu, no final na noite de terça-feira (15), comunicado informando que "houve violência generalizada em todos os protestos" contra as penas de prisão aplicadas aos líderes que lutam pela independência da Catalunha. Até agora já foram detidas mais de 50 pessoas e dezenas de agentes das forças policiais ficaram feridos.

O executivo espanhol acredita que os distúrbios até agora causados não são fruto de “um movimento pacífico dos cidadãos, mas sim da coordenação de grupos que utilizam a violência nas ruas para perturbar a convivência na Catalunha”.

Catalunha, protesto , Espanha
O balanço provisório dos incidentes desde a noite de terça-feira até ao momento aponta para pelo menos 54 pessoas feridas, alguns delas com fraturas e lesões consideráveis, e 18 policiais nacionais com ferimentos leves - RAFAEL MARCHANTE

“Uma minoria quer impor a violência nas ruas das cidades catalãs”, disse o governo, referindo-se especialmente Barcelona, Tarragona, Girona e Lleida, onde “grupos de manifestantes atacaram a sede das subdelegações”.

Prisões

O Supremo Tribunal de Espanha condenou, na segunda-feira (14), os líderes que tentaram declarar a independência da região em 2017 a penas de prisão de até 13 anos.

O ex-vice-presidente da Generalitat, Oriol Junqueras, foi condenado, por unanimidade, a 13 anos de cadeia por delito de sedição e má gestão de fundos públicos, os ex-conselheiros da Jordi Turull (ex-conselheiro da presidência), Raul Romeva (ex-conselheiro do Trabalho) e Dolors Bassa (ex-conselheira para as Relações Exteriores) também foram condenados.

As condenações de líderes independentistas são consideradas "inaceitáveis" pela Assembleia Nacional Catalã (ANC).

Perante os protestos, o governo valorizou o trabalho das forças de segurança e destacou de forma positiva a coordenação e trabalho conjunto entre “os integrantes de esquadra, a Polícia Nacional e a Guarda Civil”.

Balanço

O balanço provisório dos incidentes desde a noite de terça-feira até ao momento aponta para pelo menos 54 pessoas feridas, alguns delas com fraturas e lesões consideráveis, e 18 policiais nacionais com ferimentos leves.

Pelo menos 29 pessoas foram detidas em Barcelona, 14 em Tarragona e outras oito em Lleida.

Catalunha, protesto , Espanha
Por causa dos protestos, destroços surgiram nas ruas de várias cidades - JON NAZCA

Em Barcelona houve mais de uma centena de barricadas incendiadas e, hoje de manhã (16), destroços apareceram nas ruas da cidade.

Também a circulação de trens de alta velocidade entre Barcelona e Girona se encontra interrompida. O serviço encontra-se suspenso devido a um ato de sabotagem, com o corte intencional das linhas de fibra óptica, que está afetando o sistema de comunicações da linha ferroviária.

ados a 12 anos por delitos de sedição e má gestão, o antigo titular do cargo de conselheiro do Interior, Joaquim Forn e Josep Rull (Território) foram condenados a 10 anos de cadeia e Jordi Cuixart, responsável pela instituição Òmnium Cultural, foi condenado a nove anos de prisão por sedição.

Foto: JUAN MEDINA