Com chuva, Cantareira mantém nível dos reservatórios em 11,9%

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fernanda Cruz - Agência Brasil04.11.2014 - 11h20

 

 

 

O nível dos reservatórios do Sistema Cantareira se manteve hoje (4) em 11,9%, mesmo percentual registrado ontem (3), segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A manutenção do nível se deve à chuva forte que atingiu ontem a cabeceira do sistema, chegando a um volume médio de 15,7 milímetros.

 

Leia outras notícias sobre a crise hídrica do Sistema Cantareira

 

Segundo o meteorologista do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), Thomaz Garcia, o mês de novembro deve seguir a média histórica de precipitações, de 128 milímetros, na capital paulista. A chegada de uma frente fria, além de trazer as chuvas, deve diminuir a temperatura, destacou Thomaz.

 

Na região do Cantareira, os três primeiros dias deste mês já acumulam 39,6 milímetros de chuvas, sendo que, apenas no domingo (2), a precipitação foi 19,1 milímetros. O volume é bastante expressivo, se comparado a outubro, quando choveu, durante todo o mês, apenas 42,5 milímetros. A média história para o mês de novembro, porém, é 161,2 milímetros.

 

O Cantareira é o principal sistema de abastecimento de São Paulo, atendendo 9 milhões de habitantes na região metropolitana. A água do Cantareira é distribuída também a uma população de 5 milhões de pessoas nas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

 

Já no segundo maior sistema de abastecimento de água do estado, o Alto Tietê, não choveu tanto como no Cantareira. A precipitação média ontem foi 4,2 milímetros, fazendo com que o nível dos reservatórios caíssem de 8,8% ontem para 8,7% hoje.

 

Segundo a Sabesp, apesar de já haver autorização para o uso da segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira, não há previsão quando isso acontecerá. A companhia espera que o manancial se recupere com a chegada das chuvas e que a captação da segunda cota não seja necessária.