Ocupantes de terreno em SP pedem adiamento de reintegração de posse

Agência Brasil                                                            13/07/15 12h03 

 

As lideranças da ocupação Plínio de Arruda Sampaio, na zona sul da capital paulista, fizeram hoje (13) uma manifestação para pedir a prorrogação da reintegração de posse da área marcada para as 6h de amanhã (14). A comissão dos moradores conseguiu se reunir com a subprefeita Cleide Pandolfi, na Capela do Socorro.

 

De acordo com Leanir José da Costa, coordenador do Movimento Plínio de Arruda Sampaio, a defensoria pública vai peticionar hoje a prorrogação do prazo, para que tenham ao menos cinco dias para desocupar a área. A ação para pedir o adiamento correrá na 2ª Vara Civil de Santo Amaro.

 

A subprefeita da Capela do Socorro, Cleide Pandolfi, disse que tentou intermediar o problema. “Nós ligamos para o 50º Batalhão da Polícia Militar (PM)  para negociar uma prorrogação, mas a PM informou que não tem autonomia para isso,” declarou.

 

Representantes de outras duas ocupações que também correm risco de serem despejadas, Novo Recanto e Jardim da União, participaram da reunião com a subprefeita. Sandra de Moura, coordenadora da ocupação Jardim da União, onde vivem, há 1 ano e nove meses, 600 famílias. Eles contam que existe um problema na identificação de possíveis áreas a serem destinadas à moradia popular.

 

“O governo pediu para que a gente apresentasse um estudo técnico de algum terreno particular na região para poder prorrogar por 180 dias [a permanência na ocupação]. Mas a gente não têm como fazer esse estudo. Viemos pedir para a subprefeita fazer esse mapeamento,” disse.

 

De acordo com a subprefeita, uma relação de terrenos públicos existentes na região sul de São Paulo será apresentada às lideranças das ocupações em reunião marcada para o próximo dia 22, na Secretaria Municipal da Habitação.